Baião – Vinhos Verdes

Baião

 

Entre as Serras do Eça e o Douro Verde, a poucos quilómetros do Porto, vale bem a pena a visita às terras de Baião.

Baião é uma vila portuguesa no distrito do Portoregião Norte e sub-região do Tâmega e Sousa. É sede de município subdividido em 14 freguesias. O município é limitado a norte pelo concelho de Amarante, a leste por Mesão FrioPeso da Régua, a sul por Resende e Cinfães e a oeste pelo Marco de Canaveses. O município engloba 3 vilas: BaiãoAncede e Santa Marinha do Zêzere.

Baião terra riquíssima em história, tradições, artesanato, cultura, gastronomia, sabores, vinhos, … e a arte de bem receber.

 

BAIÃO – TERRA DE SABORES

Quando falamos de Baião, falamos sempre de iguarias saborosas e suculentas que ficam na nossa memória.

Anho assado com arroz no forno sempre presente em festas, como os casamentos, batizados… O ex-libris da gastronomia desta região.

Os fumeiros tradicionais oferecem-nos um Cozido à Portuguesa, onde as chouriças de carne, morcelas e presuntos lhe dão um sabor ímpar.

 

Gastronomia QUEIROSIANA

No livro A Cidade e as Serras, Eça de Queiroz relatou as suas primeiras experiências gastronómicas, que perduraram pelos tempos, e a sua primeira refeição quando chegou a Santa Cruz do Douro.

Há, ainda, outros pratos descritos nas suas obras, tais como: Arroz Doce, Fricassé de Aves, Lombo Assado – Os Maias; Sopa Seca – A Ilustre Casa de Ramires; Cabidela – O crime do Padre Amaro; Sopa Dourada – A Cidade e as Serras.

 

Caldo de Galinha com Fígado e Moela

«Desconfiado (Jacinto), provou o caldo que era de galinha e rescendia. Provou – e levantou para mim, seu camarada de miséria, uns olhos que brilhavam, surpreendidos […].
E sorriu, com espanto: – Está bom!”
Estava precioso: tinha fígado e tinha moela: o seu perfume enternecia: três vezes, fervorosamente, ataquei aquele caldo.»

Eça de Queiroz, in A Cidade e as Serras

 

Arroz de favas

«E pousou sobre a mesa uma travessa a transbordar de arroz com favas. Que desconsolo! Jacinto, em Paris, sempre abominara favas! … Tentou todavia uma garfada tímida – e de novo aqueles seus olhos, que pessimismo enevoara, luziram, procurando os meus. Outra larga garfada, concentrada, com uma lentidão de frade que se regala. Depois um brado:
– óptimo!… Ah, destas favas, sim! Oh que fava! Que delícia!»

Eça de Queiroz, in A Cidade e as Serras

 

Creme Queimado

«À mesa onde os pudins, as travessas de doce […].
– Como gostar! Mas é que delira! … Pudera! Tanto tempo em Paris, privado dos pitéus lusitanos…»

Eça de Queiroz, in A Cidade e as Serras

 

Vinhos – Avesso

Baião é uma das 9 sub-regiões dos Vinhos Verdes, tendo como casta rainha o Avesso, uma variedade autóctone. A casta Avesso tem habitat tradicional na sub-região de Baião (Baião, Cinfães e Resende, no limite com a região do Douro, delimitada pelo rio Teixeira). Aqui, é também conhecida como Borral, Bornal ou Borraçal Branco.
A Avesso tem conhecido, nos últimos tempos, expansão substancial para sub-regiões contíguas, como Amarante, Paiva e Sousa. Fruto desse crescimento, é expectável que a mancha de Avesso no Minho supere já os cerca de 800 hectares, que os últimos registos davam conta.

 

Trata-se de uma casta de maturação precoce, melhor adaptada a solos graníticos e secos, que gera vinhos com reduzido teor alcoólico e apresenta uma acidez natural média a elevada. Apesar dessas premissas, consegue apresentar vinhos maduros, com características organoléticas que vão desde os aromas frutados, cítricos e de fruto de polpa branca, a tons florais e até notas de frutos secos e mel. São, por norma, elegantes, subtis e complexos, intensamente frescos, por vezes até acídulos, com bom volume de boca, harmoniosos e muito sérios. A casta consegue, contudo, fazer jus ao nome: vinhos e mostos são muito sensíveis à oxidação e perda de acidez e a película fina torna-a sensível a escaldões.

 

Em Baião – mas também nas restantes sub-regiões por onde se disseminou – goza de um clima menos atlântico que continental e altitudes médias. Acima dos 300 metros tem maior dificuldade em amadurecer, sendo, nestes casos, utilizada como vinho base para espumantizar. É, para além disso, uma casta muito versátil em termos gastronómicos, podendo acompanhar uma vasta panóplia de pratos e ser o parceiro ideal em vários momentos de consumo.

A casta Avesso dá-se muito bem quando loteada, mostrando crescimento aromático, e no potencial de frescura quando casada com outras variedades regionais, como Arinto (Pedernã), Trajadura ou Loureiro.

 

FUNDAÇÃO EÇA DE QUEIROZ

A Fundação Eça de Queiroz é uma instituição privada de utilidade pública, que tem a sua sede na Casa de Tormes, em Santa Cruz do Douro. O núcleo museológico da Casa de Tormes permite dar a conhecer a vida e obra de Eça de Queiroz através dos seus objetos pessoais, mobília, quadros, fotografias, peças de decoração e presentes de amigos. Deste conjunto, sobrelevamos a secretária do Escritor que é a peça mais emblemática de todo o seu espólio.

No complexo da Fundação Eça de Queiroz temos o Restaurante Tormes, liderado pelo Chef António (um filho da terra) e que incorpora os pratos de Eça, aquando da sua chegada e vivência em Santa Cruz do Douro, mencionados nas suas obras.

 

MOSTEIRO DE SANTO ANDRÉ DE ANCEDE

Apesar de se desconhecer a data da sua fundação, sabe-se que em 1120 este Mosteiro pertencia já à Diocese do Porto, estando ligado aos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. Em 1141, D. Afonso Henriques vende a Carta de Couto ao abade do Mosteiro por 150 morabitinos. Em 1560, é anexado ao Convento de São Domingos de Lisboa, por decisão do Papa Pio IV. No século XVIII, constroem-se vários edifícios que ainda hoje notabilizam este conjunto arquitetónico: os Celeiros e a Adega, a Capela octogonal de Nosso Senhor do Bom Despacho e, provavelmente, o Fontanário. Nos inícios do séc. XIX, o Mosteiro foi vendido em hasta pública, ficando na posse do Barão de Ancede.

 

A CAPELA DO SENHOR DO BOM DESPACHO

A Capela do Senhor do Bom Despacho integra o conjunto arquitetónico do Mosteiro de Santo André de Ancede. A construção desta capela situa-se na primeira metade do século XVIII, refletindo o gosto arquitetónico da época, ao adotar a planta octogonal e o estilo joanino, tipicamente barroco para a decoração do interior em talha dourada e policromada. Desde a segunda metade do século XVI que o Mosteiro de Santo André de Ancede se encontrava na posse do Convento de S. Domingos de Lisboa, pelo que esta ligação está profundamente materializada na decoração escultórica e pictórica desta capela.

 

CENTRO INTERPRETATIVO DA VINHA E DO VINHO

Desde os inícios do séc. XII, altura em que o Mosteiro de Santo André de Ancede foi fundado, que a sua história se encontra intimamente relacionada com a produção e a comercialização do vinho. Desde a época medieval, que o vinho era canalizado para a cidade do Porto, integrando os circuitos comerciais do Rio Douro.

 

NÚCLEO DE ARTE SACRANo edifício da “Casa da Hospedaria e Casa dos Moços” do mosteiro de Ancede está patente ao público uma coleção de arte sacra que contempla o espólio doado ao Município por um dos mais importantes colecionadores do país, o Dr. António Miranda.

 

Produtores de Vinho

Não poderíamos deixar a região sem visitar os produtores de vinho, muitos deles pequenos produtores, de diversas gerações que se dedicam à produção de vinhos, em especial a Casta Avesso.

Neste tour iremos visitar e conhecer a Quinta de Covela e a Quinta de Porto Ferrado.

 

Para finalizar,

Confesso que estou enamorado e apaixonado por esta região, pelas tradições, a história, saberes, sabores e a arte de bem receber.

Sabemos que um dia não é suficiente para conhecer a essência desta terra mas, com este tour, daremos a conhecer o principal.

Venha visitar, experimentar, degustar o que de bom tem esta região para oferecer.

 

O que está incluído:

Transfer do alojamento para Baião

Visita ao centro da Vila

Mosteiro de Santo André de Ancede

Visita ao produtor de Vinhos – Quinta da Covela

Almoço no Restaurante Tormes – Fundação Eça de Queiroz

Visita à Fundação Eça de Queiroz

Visita ao produtor de Vinhos – Quinta de Porto Ferrado

Jantar

Regresso ao Alojamento

Nº Pessoas           Preço
1 365,00 €
2 475,00 €
3 585,00 €
4 685,00 €
5 1 075,00 €
6 1 195,00 €
      Mais 6 pessoas Sob consulta

 

Nota: Podem optar por um tour mais curto em questão de tempo, com uma visita apenas a um produtor de vinhos e sem jantar.

 

Baião – Sem jantar e 1 produtor Vinhos
Nº Pessoas Preço
1 275,00 €
2 355,00 €
3 405,00 €
4 485,00 €
5 815,00 €
6 905,00 €
Mais 6 pessoas Sob consulta

 

  • Reviews 0 Reviews
    0/5
  • Vacation Style
    Camping Trek
  • Activity Level
Descubra o que esta incluído e algumas observações sobre este programa
O que esta incluído neste programa?Items that are included in the cost of tour price.

Transfer do alojamento para Baião

Visita ao centro da Vila

Mosteiro de Santo André de Ancede

Visita ao produtor de Vinhos - Quinta de Covela

Almoço no Restaurante Tormes - Fundação Eça de Queiroz

Visita à Fundação Eça de Queiroz

Visita ao produtor de Vinhos - Quinta de Porto Ferrado

Jantar

Regresso ao Alojamento

Observações sobre este programa.Items that are included in the cost of tour price.

Nota: Podem optar por um tour mais curto em questão de tempo, com uma visita apenas a um produtor de vinhos e sem jantar

O que as pessoas acham deste programa
0/5

Deixe o seu comentário